INÍCIO QUEM SOMOS ÁREA DE ATUAÇÃO ESTRUTURA NOTÍCIAS ARTIGOS CONTATO
 
 
Chávez visita Dilma para reforçar intenção de Brasil se manter como parceiro privilegiado
06.06.2011

Após adiar a visita ao Brasil há menos de um mês por causa de dores no joelho esquerdo, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, estará hoje (6), a partir das 10h30, com a presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Em seguida, eles se reúnem com os ministros dos dois países e depois fazem uma declaração à imprensa. Chávez almoça com Dilma, no Palácio Itamaraty e, depois pretende retornar a Caracas.

Pelo menos 30 acordos de parceria entre a Venezuela e o Brasil foram discutidos desde o fim do mês passado até o último fim de semana. Alguns deles, porém, deverão ficar para uma segunda etapa de reunião entre os dois presidentes.

Em julho, será a vez de Dilma retribuir a visita de Chávez, participando de uma série de eventos na Venezuela. De acordo com negociadores brasileiros, as visitas indicam que ambos têm o objetivo de intensificar as relações bilaterais. Em 2010, o comércio bilateral totalizou US$ 4,6 bilhões, um crescimento de 11,8% em relação a 2009, sendo que as exportações brasileiras alcançaram US$ 3,8 bilhões.

Em geral, o Brasil exporta para a Venezuela alimentos, frango desossado e carne bovina, enquanto os venezuelanos vendem para os brasileiros, essencialmente, petróleo e derivados. A Venezuela tem o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) da América do Sul e importa 75% dos alimentos que consome.

Para os venezuelanos, segundo as autoridades brasileiras, o Brasil ocupa a posição de parceiro privilegiado em decorrência das várias iniciativas que há de empresas públicas e privadas brasileiras em território venezuelano.

A Caixa Econômica Federal (CEF) vai colabor no gerenciamento do programa de financiamento habitacional na Venezuela. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Centrais Elétricas S.A (Eletrobras) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) mantêm acordos de cooperação com o governo e empresários do país.

No começo de maio, Chávez agendou visitas ao Brasil, Equador e a Cuba. Mas, segundo ele, por recomendação médica, adiou as visitas para ficar de repouso por causa de uma inflamação no joelho esquerdo.

A viagem de Chávez ao Brasil estava marcada para o último dia 10, mesmo dia em que o Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês) divulgou relatório denunciando que o presidente da Venezuela havia prometido enviar, em 2007, US$ 300 milhões às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A informação foi negada pelas autoridades venezuelanas.

Fonte: Agência Brasil

WEBMAIL
Login
Senha
 
ADMINISTRATIVO
Login
Senha
 
 
CopyRight © 2010 - Eduardo Granzotto - TWNet